BLOG COLETIVO, os temas são variados.
Tudo começou em 2004 numa comunidade de gente 'madura' do orkut, aos poucos cresceu a amizade e sintonia, apesar de vivermos em diferentes lugares. Participamos da comunidade fechada Jiló com Miolo no orkut, no Facebook, e no blog mostramos nosso 'espírito jiló'.

ÁGUA PARA OS IDOSOS

IMPORTANTE
Arnaldo Lichtenstein, médico, clínico-geral do Hospital das Clínicas e professor colaborador do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP .

"Sempre que dou aula de Clínica Médica a estudantes do quarto ano de Medicina, lanço a pergunta:
"Quais as causas que mais fazem o vovô ou a vovó terem confusão mental?"
Alguns arriscam: "Tumor na cabeça".
Eu digo: "Não".
Outros apostam: "Mal de Alzheimer". Respondo, novamente: "Não".
A cada negativa a turma espanta-se. E fica ainda mais boquiaberta quando enumero os três responsáveis mais comuns: diabetes descontrolado; infecção urinária; a família passou um dia inteiro no shopping, enquanto os idosos ficaram em casa.
Parece brincadeira, mas não é. Constantemente vovô evovó, sem sentir sede, deixam de tomar líquidos. Quando falta gente em casa para lembrá-los, desidratam-se com rapidez. A desidratação tende a ser grave e afeta todo o organismo. Pode causar confusão mental abrupta, queda de pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos ("batedeira"), angina (dor no peito), coma e até morte.

Insisto: não é brincadeira. Ao nascermos, 90% do nosso corpo é constituído de água. Na adolescência, isso cai para 70%. Na fase adulta, para 60%. Na terceira idade, que começa aos 60 anos, temos pouco mais de 50% de água. Isso faz parte do processnatural de envelhecimento. Portanto, de saída, os idosos têm menor reserva hídrica. Mas há outro complicador: mesmo desidratados, eles não sentem vontade de tomar água, pois os seus mecanismos de equilíbrio interno não funcionam muito bem.

Explico: nós temos sensores de água em várias partes do organismo. São eles que verificam a adequação do nível. Quando ele cai, aciona-se automaticamente um "alarme". Pouca água significa menor quantidade de sangue, de oxigênio e de sais minerais em nossas artérias e veias. Por isso, o corpo "pede" água. A informação é passada ao cérebro, a gente sente sede e sai em busca de líquidos.

Nos idosos, porém, esses mecanismos são menoseficientes. A detecção de falta de água corporal e a percepção da sede ficam prejudicadas. Alguns, ainda, devido a certas doenças, como a dolorosa artrose, evitam movimentar-se até para ir tomar água. Conclusão: idosos desidratam-se facilmente não apenas porque possuem reserva hídrica menor, mas também porque percebem menos a falta de água em seu corpo. Além disso, para a desidratação ser grave, eles não precisam de grandes perdas, como diarréias, vômitos ou exposição intensa ao sol.

Basta o dia estar quente - e o verão já vem aí - ou a umidade do ar baixar muito - como tem sido comum nos últimos meses. Nessas situações, perde-se mais água pela respiração e pelo suor. Se não houver reposição adequada, é desidratação na certa. Mesmo que o idoso seja saudável, fica prejudicado o desempenho das reações químicas e funções de todo o seu organismo.

Por isso, aqui vão dois alertas. O primeiro é para vovós e vovôs: tornem voluntário o hábito de beber líquidos. Bebam toda vez que houver uma oportunidade. Por líquido entenda-se água, sucos, chás, água-de-coco, leite. Sopa, gelatina e frutas ricas em água, como melão, melancia, abacaxi, laranja e tangerina, também funcionam.

O importante é, a cada duas horas, botar algum líquido para dentro. Lembrem-se disso!

Meu segundo alerta é para os familiares: ofereçam constantemente líquidos aos idosos. Lembrem-lhes de que isso é vital. Ao mesmo tempo, fiquem atentos. Ao perceberem que estão rejeitando líquidos e, de um dia para o outro, ficam confusos, irritadiços, fora do ar, atenção. É quase certo que esses sintomas sejam decorrentes de desidratação.
"Líquido neles e rápido para um serviço médico".

LIÇÃO DA ÁGUIA

LIÇÃO DA ÁGUIA." A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie, chegando a viver 70 anos.Mas para chegar a essa idade, aos 40 anos ela tem que tomar uma série e difícil decisão. Aos 40 anos ela está com as unhas compridas e flexível e não consegue mais agarrar as suas presas, das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva. Apontando contra o peito estão estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já está estupidamente difícil! Então, a águia só tem duas alternativas: morrer ou enfrentar um doloroso processo de renovação que irá durar 150 dias. Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar. Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arranca-lo. Apó0s arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas, e só após cinco meses sai para o famoso vôo de renovação e para viver, então, mais 30 anos.

"PARA REFLEXÃO. A cada nova jornada que se inicia, fazemos um balanço das nossas vidas, renovamos nossos objetivos, prometemos novos começos e procuramos renascer. No entanto, todo renascimento será impossível se, antes não nos livrarmos dos pesos acumulados ao longo da vida, como nos ensina a " lição da águia.

OUTONO


Quisera sonhar um dia
Não sonhei não fui capaz
Afinal mal eu sabia
Que o tempo voltava atrás!
O Outono se reanima
Em fúria desenfreada
Reabre a porta fechada
Reinventa a minha sina!
Uma vaga de ternura
Lançando no ar queixume
Reacende a chama em lume
Do amor que sempre dura.
Meia noite e meia hora
Como o repicar dum sino
De mim toma conta agora
O clamor do desatino!
Meio composto por fora
Em desalinho por dentro
De mim toma conta agora
Um primaveril rebento.
Vergôntea esverdeada
Esperança dos meus sonhos
Que espera os dias risonhos
Da vida sempre sonhada.
Meu relógio ferrugento
Tu não andavas parado
E, por fim, me dás, a tempo,
O tempo mais esperado!
14/12/2005 – 22:00 h
Abel – Um poeta blogueiro das terras de além mar

TOP 10 about me!

Em ordem aleatória.!

Não necessariamente nesta ordem, ora 1, ora 10, ora 8, ora......

Apenas o nº 5.......'Ad aeternum'

1- O cinema me fascina( adoro bons filmes).Adoro cinema alternativo.

2- Tomo café, logo existo.

3-Leitura sempre. Meu universo são as letras,suas mensagens,minhas interpretações.

4- Talvez por consequência do nº 3, sou muito curiosa,minha mente busca sempre por 360º.

5-Amo meus filhos(Thiago e Matheus)

6- Sou caipira, não nego minhas raízes.

Sou caipira, moro em S.Paulo desde 1974 e ainda puxo o rrrrrrrrr da poRta.

7-Adoro jazz, blues e suas vertentes.Tb gosto de óperas

8-Sou a favor da liberdade, zagueiro "bufando" na nuca, nem pensar

9- Faço caminhadas,e gosto de estar na água, faço natação

10- Um dia eu ainda vou morar na praia.

PRATICANDO


TERNURANDO ( a quem tanto me acarinha )

Estou revendo ternuras
à beira de um ribeirinho
no fundo de um quintal que nem foi meu...

Estou tecendo cismares
na fonte que está comigo
fazendo cócegas,
correndo cantigas que ouço e escrevo...

Estou banhando meus pés
nas águas que estão pensando,
que me lavam me levando
de folha,
só folha,
dando adeus por onde passo.



Autor: Laene Teixeira Mucci

DROPS

Sonhei que você sonhava comigo. Ou foi o contrário? Seja como for, pouco importa: não me desperte, por favor, não te desperto.

Caio F. Abreu

Cidade grande e eu...

Me mudei pra SP em 1977, vinda de Minas, mais caipira que Jeca Tatu, vinda de tradicional família presbiteriana e patriarcal. Fomos morar em São Bernardo do Campo.


Fui sozinha pra São Paulo pela primeira vez, numa tal Rua Mello Alves, comprar os móveis de quarto das minhas filhas, que cismaram com móveis azuis...

Naquele tempo era difícil achar, e eu havia encontrado um modelo que elas gostaram na revista Casa Cláudia.

Lá fui eu...

Andei horas, naquela muvuca típica de Sampa, e já no fim da tarde, pensando nos 3 ônibus que teria que pegar e nas quase 3 horas de viagem de volta, resolvi procurar uma loja onde pudesse me sentar um pouco e descansar.

(Moça de família mineira, filha do S. Antonio, entrar num boteco? jamais!!)

Procurei primeiro uma loja de sapatos, decidida a experimentar toda a loja até que me sentisse pronta pra aventura da volta pra casa. Nadaaaaaaa...

De repente vejo, do outro lado da rua uma loja de lingerie.
YESSSSSS!!
Servia... ia ficar enrolando ali um tempo, escolhendo...
Atravessei a rua e entrei na loja, e...

ERA UM SEX SHOP!

Quando me dei conta, estava cercada de toda aquela parafernália erótica, pinto de todo tamanho, forma, cor... tinha vela em forma de pinto, tinha almofada, tudo e mais um pouco. Tinha até uma coluna em forma de pinto, quase do meu tamanho!

Gente, eu nem sabia que existia esse negócio de sex shop...Nem nos meus mais doidos delírios imaginaria tal coisa.

E a loja estava cheia... lá no fundo uns 3 rapazes conversavam com algumas moças, rindo, bem desencanados.

E eu paralisada no meio da loja, estática e estupefata, mergulhada naquela pintaiada toda!!!

Através da vitrine eu via o movimento da rua, e me imaginava saindo da loja e a rua inteira me olhando...
- Capaz de dar no Jornal Nacional...
- Vou ser apedrejada como Maria Madalena!
- E se meu pai aparecesse? (o pobre lá em Minas, mas o medo era maior que a lógica).
- Pelo menos ninguém aqui dentro me viu... AINDA!- ooops! Pensei cedo demais... lá vem o vendedor, e era um HOMEEEEM!!...

- Jesusmedefenda, me tira daqui, socorro minhanossasinhora!


Pensei rápido, e saquei meu mais "classudo" sorriso, tentando parecer uma assídua frequentadora daquele tipo de loja.
O rapaz, todo sorridente, se esforçava pra arrancar uma palavra minha, mas não saía nada....

Eu só dava aquele sorriso enigmático, meio Mona Lisa, tentando parecer indiferente à tudo.

Depois de muito o rapaz insistir, me senti no dever de dizer algo, mas contato visual em hipótese alguma, claro!

Eis que surge a idéia brilhante(Aahaaaaaaa! não contava com minha astúcia!)...
Claro!

Disse, com o ar mais neutro possível, que estava procurando um presente para o marido!!

FUDEU TUDO!

O rapaz se empolgou... sugeria objetos até então inimagináveis pra minha pobre cabecinha mineirinha em pleno 1977...

Um pinto duplo!!!!!! meudeusquiéissoooo?

e as roupitchas? Senhordocéu!

De repente vislumbrei uma saleta onde era o que parecia uma livraria. Prateleiras de revistas, livros, filmes (super 8 naquele tempo pré-video cassete)...

Parecia uma zona segura...

Pelo menos eu sairia do meio daquele monte de pintos espalhados no balcão...

Disparei pra saleta, deixando o rapaz arrumando toda a bagunça que ele mesmo havia feito.

- Calma.... respira... você vai ter que sair daqui... a loja vai fechar... as crianças vão chegar da escola... o que eu vou fazer pro jantar? E se eu comprar uma coisinha qualquer, Nestor nunca mais me deixa sair de casa...-

Eu pensava tudo ao mesmo tempo, misturado com a visão do meu pai passando pela rua e me vendo ali dentro.

Volta o rapaz...

- Ah... safadinho seu marido, né? gosta de revista? filmes? Livros?? AAHHHHHH! eu tenho um livro fantásticoooooooo... acabou de chegar.

Olhei pra capa do livro.. o nome era O PÊNIS!

(Cumaaaaa??)

Claro que a ilustração era um monumental instrumento fálico, né? E dá-lhe pinto....

Com meu último suspiro de lucidez, olhei com desdém para o livro e disse:

- Não, obrigada, meu marido já tem!

Saí da loja mais rápido que Superman e até hoje dou risada quando passo por aquela rua.

ô situação ridículaa!

Em tempo: hoje eu sou mais espertinha, tá?




adivinha de onde são essas palavras?

Wordle: Untitled

é hoje! não se esqueçam!















Desejo uma fotografia
como esta – o senhor vê? – como esta:
em que para sempre me ria
com um vestido de eterna festa.

Como tenho a testa sombria,
derrame luz na minha testa.
Deixe esta ruga, que me empresta
um certo ar de sabedoria.

Não meta fundos de floresta
nem de arbitrária fantasia...
Não... Neste espaço que ainda resta,
ponha uma cadeira vazia.

[Cecília Meireles - Flor de Poema. Rio de Janeiro, 1972]

Curtinhas

"A verdadeira viagem de descobrimento não consiste em procurar novas paisagens, e sim em ter novos olhos"
Marcel Proust

DOIS MARES

Na Palestina existem dois mares. Um é doce, e em suas águas abundam os peixes; prados, bosques e jardins enfeitam suas margens. As árvores estendem sobre ele seus ramos, e avançam suas raízes sedentas para beber as águas saudáveis.
Em suas praias brincam aos grupos, as crianças como brincavam quando Jesus ali estava. Ele amava este mar. Contemplando sua prateada superfície, muitas vezes predicou suas parábolas. E num vale vizinho deu de comer a cinco mil pessoas com cinco pães e alguns peixes.
As cristalinas águas espumantes de um braço do Jordão, que descem saltando dos cerros, formam este mar que ri e que canta sob a caricia do sol. Os homens edificam suas casas perto dele e os pássaros seus ninhos. E tudo quanto ali vive é feliz, apenas por estar às suas margens.
O Jordão desemboca ao sul em outro mar. Ali não há movimento de peixes, nem sussurro de folhas, nem canto de pássaros, nem risos infantis. Os viajantes evitam esta rota, a menos que a urgência de seus negócios os obrigue a seguí-la. Uma atmosfera densa paira sobre as águas desse mar que nem o homem, nem a besta, nem a ave bebe jamais.
A que se deve esta enorme diferença entre dois mares vizinhos?
Não se deve ao rio Jordão; tão boa é a água que lança num como no outro. Também não se deve ao solo que lhes serve de leito, e nem às terras que o circundam.
A diferença se deve a isto:O mar da Galiléia recebe as águas do rio Jordão, mas não as retém ou as conserva em seu poder. Para cada gota que entra, sai uma gota. O dar e receber se cumpre ali em idêntica medida.
O outro mar é avaro e retém com ciúmes o que recebe. Jamais é tentado por impulso generoso. Cada gota que ali cai, é gota que ali fica.
O mar da Galiléia dá e vive.
O outro não dá nada. Chama-se Mar Morto.

HÁ DUAS CLASSES DE GENTE NESTE MUNDO...HÁ DOIS MARES NA PALESTINA...

A Hora do Planeta

Não se esqueçam...

Amanhã, sábado, 28 de março, é dia de apagar as luzes para dar uma folga ao planeta.

A HORA DO PLANETA é um ato simbólico, que será realizado dia 28 de março, às 20h30, no qual governos, empresas e a população de todo o mundo são convidados a apagar as luzes para demonstrar sua preocupação com o aquecimento global.

O gesto simples de apagar as luzes por sessenta minutos, possível em todos os lugares do planeta, tem como objetivo chamar para uma reflexão sobre a ameaça das mudanças climáticas.

Participem! É simples. Apaguem as luzes de suas casas.

10 coisas.......

-Pratico atividade física todos os dias...
-Adoro seriados de TV.....ainda hoje assisto reprises de Friends e ainda gargalho!!!!
-Ainda não descobri nada melhor que praia.....o sol,sal,areia,vento,maresia,TUDO!!!!!
-Leio compulsivamente....
-Bordo por puro prazer,qdo estou bem,feliz e tranquila!!!
-Adoro viajar....de qualquer jeito,prá qualquer lugar!Mas,o melhor momento é sempre voltar prá casa.....
-Como aqui não tem cinema,vou de DVD mesmo!!!!!Aqueles dramas rasgados,comédias,gosto de toda estória bem contada....
-Gosto da minha casa limpa,cheirosa,bem arrumada.....bagunça me desorienta um pouco.....rsrs
-Não sou muito vaidosa mas,faço as unhas toda semana,pinto SEMPRE os cabelos,adoro um hidratante,uma roupinha nova...e um baton sempre,é claro!!!!!!
-Sou leal,fiel e .....metódica!!!Daquelas meio chatas,que acorda sempre no mesmo horário(inclusive nas férias...),dorme cedo e tem algumas manias também...rsrsrs

mudança III

...e mais uma vez, outra mudança, feliz, uma grande mudança, com todas as complicações, mesmo assim nada pode me deixar mais feliz, todas as mudanças de 2009... estreiando ser avó e ir morar perto do mar!

os dois posts anteriores escrevi no meu blog em outras ocasiões de mudança, continua válido para essa agora, é o que sinto.

mudança II

Passamos a vida acumulando, começamos de pequenos a juntar um monte de coisas, e mesmo fazendo faxinas, arrumações, tentando organizar objetos, a impressão é de que sempre tem muito mais, que vão crescendo sem a gente perceber. Até que chega um dia que nos vemos prisioneiros de nossas coisas, já não temos mais liberdade, pois tudo o acumulado depende de nós. A casa fica cheia de objetos dos quais sequer lembramos, gavetas cheias, armários lotados, só nos damos conta do que está lá quando somos obrigados a remexer nos guardados. É engraçado como "nos apegamos" a uma fita, um pedaço de papel, uma caixinha. E quando temos que decidir se aquilo continua guardado ou vai ser dado um fim a dúvida é cruel, acaba ficando para a próxima vez.
Eu já juntei e já faxinei nem sei quantas vezes as minhas casas. E pensando nisso comecei a contar em quantas casas vivi, nunca tinha parado para fazer isso e acabei de contar, levei um susto. Vou contar aqui junto com vocês.
Quando nasci meu pais moravam numa casinha da qual se mudaram quando eu tinha meses, foi aí que tudo começou! Comecei cedo e venho mudando de casas desde então.
Passei minha infância e adolescência num apartamento que ficava no térreo e tinha quintal e jardim, a rua era de terra, ficava perto do rio, lugar tranquilo do interior.
A universidade fiz em São Paulo e me mudei para a casa da minha tia, ela era viúva, morava na Pompéia a minha faculdade ficava, e fica nas Perdizes, isso eram os anos 70.
Me casei e nos primeiros meses moramos numa travessa da Brigadeiro Luiz Antonio, na Liberdade, pouco tempo depois fomos para um apartamento na rua Antonia de Queirós, travessa da rua da Consolação. Por causa do trabalho do meu marido (primeiro marido) tivemos que voltar para o interior, tínhamos um filho, fomos morar num apartamento na minha cidade natal enquanto ele trabalhava numa cidade vizinha. Com a chegada do segundo filho nos mudamos para uma casa, passado um tempo decidimos mudar de cidade para ficar perto do trabalho e fomos para uma casa num bairro residencial. Já tínhamos até então acumulado algumas coisas, poucos móveis e muitos objetos, livros, quadros. Naquela época tanto ele como eu íamos ã São Paulo algumas vezes por semana por causa de estudos, com as duas crianças pequenas achamos mais seguro moramos num apartamento e lá fomos para mais outra mudança.
Neste ponto - primeira metade dos anos 80 - acaba o meu primeiro casamento, tive que ir com os meninos para um apartamento menor.
Depois de uns anos casei e mudei! Fui morar em outra cidade do interior, numa casinha simpática, antiga, apertada para nós que começamos já com a familia grande, eu com dois meninos, ele com uma menina e logo fiquei grávida. E assim nossos quatro filhos cresceram nessa casa que foi se modificando ao longo dos anos, fiz algumas reformas e adaptações, foi a casa que mais tempo viví depois de adulta. Mas o dia da mudança chegou contra nossa vontade, alí foi construído um prédio e a simpática rua de casinhas geminadas onde as crianças brincavam na calçada desapareceu. A outra casa era maior, meus sogros vieram morar conosco, ele estava doente e acabou falecendo nesta casa. Os três filhos mais velhos estudavam fóra, vinham de vez em quando para nos ver, a casa foi ficando grande. Os dois filhos mais velhos mudaram-se para o exterior, casaram-se, o mais novo estava fazendo intercâmbio e nós nos mudamos para a ultima casa do segundo casamento.
Separei-me e fui morar num apartamento muito agradável com meu filho caçula, o outro já estava morando sozinho no apartamento dele. Depois de um ano fui com minha mudança para São Paulo, morar no apartamento que meu irmão emprestou. A esta altura muitas coisas já tinham ficado pelo caminho, já tinham sido distribuídas. Como meus filhos estudaram fóra e moraram em repúblicas, lá se foram alguns móveis, objetos, utensílios.
Quando voltei para morar em São Paulo minhas coisas estavam reduzidas, mas ainda eram muitas coisas. Em menos de um ano morei em três lugares diferentes até que fui para a Bahia e lá passei um ano. Voltando fiquei uns meses na casa de um amigo até vir para onde estou agora escrevendo este texto, e com uma lista de imobiliárias para ligar amanhã aqui do meu lado. Isso mesmo, vou fazer mais uma mudança dentro de poucos dias, nem sei para onde vou ainda.
Minha mãe que costuma brincar, diz que eu sou especialista em mudanças.
Contaram em quantas casas eu já vivi? E isso sem contar o tempo que passei em Roma e Aracaju. Pois bem, são vinte residências onde fiz a minha história até agora e estou partindo para a vigésima primeira. Minhas coisas atualmente são poucas mesmo, exceção dos livros, que são bastante, vou ter que encaixota-los, isso é uma trabalheira, mas não tenho mais cristais e porcelanas, nem toalhas de linho, nem móveis, nem mesmo uma cama, durmo num colchão no chão. Quero viver simplesmente, uma vida despojada, rodeada de coisas essenciais para o mínimo conforto e prazer, não quero nada que me tire a liberdade. Eu não vou mais 'cuidar de casa' como diziam os antigos, quero um lugar prático e aconchegante, onde eu possa viver a minha paz.
(na foto um pedacinho da minha estante de livros para encaixotar)

mudança I

Tudo muda a todo instante
e mudar é mais que inevitável ­ - é necessário.

Minha mãe costuma dizer que sou expert em mudanças, e acho que mais que isso, a cada mudança consigo simplificar mais minha vida, o que tem me deixado muito satisfeita. Meu estilo de vida foi se delineando e hoje sou mais autêntica e tranquila.
Quando encaixotamos objetos pessoais, roupas, livros e cartas, estamos revendo o passado, e aí está a chance de sabermos mais de nós mesmos. A cada mudança podemos fazer uma faxina, que é externa e interna também. E é possível avaliar o quanto podemos mudar, e em vez de perder, acrescentamos qualidade de vida simplificando. São realmente pouquissimas coisas que precisam nos acompanhar a vida toda, colecionar muito atrapalha na hora da mudança, e como tenho essa alma ansiosa pelo novo, descobri que o acúmulo de objetos impede meus movimentos.
Aqui escrevendo acabei de contar, nos meus quase 55 anos já morei em 16 endereços, e percebi que cada mudança foi para melhor. Já vivi em 5 cidades, nasci no interior de São Paulo, cidade pequena, e até os meus 18 anos era um lugar calmo, onde pude aproveitar a infância nos quintais e nas ruas tranqüilas. A adolescência nos clubes, praças, festinhas de garagens. Estudei na universidade em São Paulo numa época em que a cidade grande não era assustadora, minha juventude foi vivida como deve ser, com muitos amigos, festas, viagens.
Casamento e filhos, continuaram as mudanças por causa do trabalho. Separação, outra mudança. Segundo casamento, outra cidade e mais filhos, outro trabalho. Outra vez separação, outra mudança de cidade, e sempre desafios para aprender coisas novas.
Aprendi que não quero guardar mais nada em vão, passo para frente, distribuo o que não vou usar e tudo o que não quero. Dá sensação de alívio e as pessoas que recebem ficam felizes com coisas que para elas podem ser úteis.
Tudo que quero atualmente é ter só o que me dá prazer pela qualidade de vida. Uma casa agradável e aconchegante que me acolha para eu relaxar quando chego exausta do trabalho. Importante é um bom chuveiro e um bom colchão, básico para recarregar as energias. Não abro mão de meus livros, pois como disse Göethe, quem tem livros não sente solidão, e para mim é exatamente isso, eles são meus companheiros. Gosto também da cozinha onde é delicioso preparar, com carinho, uma refeição, seja estando sozinha ou recebendo amigos. Um sofá gostoso para ouvir música, ler, assistir filmes, cochilar, namorar...Andar descalça, brincar com o cachorro, acordar cedo e olhar o céu quando amanhece, assistir a lua cruzando a noite.
Objeto essencial nessa altura da minha vida é meu laptop e uma conexão! Para me informar, me comunicar, me divertir, conhecer gente interessante (ganhei um grande presente da vida via internet!) e poder fazer meus blogs! Usar a internet e ir a cada dia descobrindo maneiras de me expressar foi uma grande mudança na minha vida, e isso promove mudanças constantes também. Acordo cada manhã na expectativa de mudança, pois para mim mudança é ganho, não perdi nada com as mudanças, pelo contrário, juntei o que me faz como sou e percebo quanta coisa tenho!


Amigos

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.

E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!

Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências…

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.

Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.


PAULO SANT'ANA
Cronista do jornal Zero Hora
Texto re-publicado no dia 15/01/2007,
no jornal Zero Hora

PASTILHAS

Não há poema em si, mas em mim ou em ti.


(Octavio Paz)

Sobre mim...



É difícil falar de si mesmo!

Sou uma pessoa que sempre está de bom humor. Acordo sorrindo! E passo o dia assim, também. Não sei conviver bem com agressividade, mau humor, pessimismo.

Sou amiga, muito carinhosa, prestativa. Estou sempre para o que der e vier.

Sou prendada: faço crochê, tricô, bordo, faço tapetes...mas não sei costurar!

Por sua vez, costuro receitas culinárias. Gosto de brincar com as receitas, e no final faço tudo sem a tal receita. Uso o "olhômetro". Adoro cozinhar. Mas sem ser obrigação.

Sou sensível, me magôo com facilidade. Mas logo passa.

Sou mandona.

Sou batalhadora, enfrento desafios.

Sou muito otimista. Tenho a certeza de que sempre chegarei ao meu objetivo. Mesmo que o caminho seja cheio de curvas.

Sou muito prática.

Tenho paixão por minha família. Adoro reunir todos, o que sempre acontece em minha casa. Sou uma pessoa apaixonada!


Eu?

De 1 a 10: não me sinto à vontade na berlinda.

Um pouco sobre mim...( em 10 itens!)

1- Sou movida a amor. Para me sentir feliz, tenho de dar e receber amor. Não concebo a vida sem ele e, por isso vivo cercada de muitos e importantes vínculos afetivos com pessoas, animais e até com plantas e objetos. Quando amo uma pessoa é pra valer. Inteira e intensamente..E se, por acaso, me decepciono, sofro bastante, mas, tão logo quanto possível, mudo de rumo.

2- Gosto de viver no reino da delicadeza. Detesto brutalidades, grosserias, baixarias, agressões. Gosto mesmo é de aconchego, de abraços, de sorrisos, de carinho, de pequenas gentilezas.

3- Gosto de conhecer pessoas e lugares. Viajar é uma coisa que me faz muito bem. Sou facilmente adaptável e me interesso muito por culturas e hábitos diferentes. Gosto de me aventurar pela surpresa do novo, pelo inusitado, mas sem perder demais o pé da realidade e prefiro, sempre que possível, viajar com relativo conforto e segurança.
Por mim, viveria viajando pelo mundo...Num bate-volta sem fim... E gostaria de viver por um ano ( não mais!) num país estrangeiro como a Itália ou a França.


4- Gosto muito de escrever. Desde criança, aprendi a escrever para expressar meus sentimentos. Coisas que não contava para ninguém, medos, esperanças, anseios iam direto para uma folha de papel em forma de anotações de diário ou poemas singelos. Meu maior temor sempre foi perder algum de meus inúmeros cadernos, mas a vida se encarregou de fazê-lo...Quando eu era adolescente, escrevia poemas por encomenda para meu irmão dar para às namoradas. Nunca parei de escrever, embora, algumas vezes, eu entre em longos recessos...

5- Também gosto de cantar. E de representar. Já cantei no "conjunto" de meu irmão, quando eu era adolescente e fiz teatro amador nos meus tempos de faculdade. A vida tomou outros rumos e os resquícios dos sonhos de superstar foram ficando bem diluídos. Hoje, canto no chuveiro e represento diante do espelho para mim mesma...

6- Não sei nadar. Jamais aprendi, embora tenha tentado várias vezes quando minhas filhas iam para as aulas de natação. Mas ainda não desisti.

7- Sempre tive a imagem de moça frágil e sensível. E até sou assim, em alguns momentos, mas, em todas as ocasiões em que a vida solicitou, segurei todas as pontas. Especialmente na última década, me descobri uma mulher forte, independente e corajosa....cheia de iniciativa e autossuficiência. Sinto muito orgulho de mim e de tudo que construí com meus próprios recursos internos, com muito esforço e dedicação. E digo isso sem nenhuma modéstia. Sou minha maior fã..hahaha

8- Tenho um problema com ovos. Quando eu era pequena, minha mãe achava que eu tinha anemia e todos os dias me fazia tomar, numa colher, uma gema crua de ovo de pata! Aquilo estourava muitas vezes em minha boca e eu me lembro até hoje da sensação horrível que sentia ao ser obrigada a engolir aquilo. Resultado: se eu sentir gosto ou cheiro de ovo em um alimento, passo fome, mas não consigo comer. Ovos moles, cozidos, omeletes, mexidos... passo longe! Mas estou lutando contra este trauma e, nos últimos tempos, venho procurando (EU MESMA) preparar um ovo pra comer a cada dois três meses. Cozinho o ovo por mais ou menos uma meia hora, ou faço um ovo frito esturricado na manteiga e como com muito azeite, sal, maionese, requeijão, azeitona, queijo ralado, ou o que tiver pra disfarçar o gosto!

9- Sou muito ligada à minha família, aos meus amigos e às minhas gatinhas, Gosto de sempre ter flores frescas em casa. Coleciono caixinhas e sempre que viajo trago alguma coisinha do lugar onde estive para minha casa. Adoro ver a casa cheia de gente e a maior parte das reuniões de família são feitas aqui em casa. Sou a festeira da família! E, apesar de ser, no meu íntimo mais íntimo, inacreditavelmente tímida, tenho muita necessidade relacional. Não passo um dia sem entrar na Internet pra conversar um pouquinho com cada um dos amigos da Jiló, que eu ADORO! E tenho também um grupo de amigas ( eu e mais 5)- com quem me relaciono desde a faculdade, sendo que nos encontramos todas, ao menos uma vez por mês.

10- Sempre gostei muito de aprender, de estudar, de saber das coisas...Sou bastante curiosa e ativa. Vivo fazendo mil cursos e em cada um deles também arrumo amigos. Atualmente estudo italiano, faço yoga e dança do Ventre, além de orientar grupos de criação literária com pacientes psiquiátricos e idosos e estar para iniciar um novo grupo de Contação de Histórias. No entanto, preciso, de vez em quando, de momentos de silêncio interno e recolhimento. Daí gosto de ficar quietinha pensando, pensando...
Acho que a vida tem sido muito boa para mim e sinto-me privilegiada pelas pessoas, e acontecimentos que enfeitaram e enfeitam a minha vida. Meu coração está aquecido e cheio de amor. Estou viva e apaixonada!

10 coisas sobre mim...



1. Gosto de aprender. Qualquer coisa... caminhos novos, artes novas, sou uma esponja ávida por absorver tudo que passa por mim.

2. Gosto de fazer parte, de participar, de influir no meio em que estou de alguma forma. Preciso aprender que não sou eu quem empurra o mundo pra que ele gire.

3. Se eu passar um dia sem produzir uma coisinha que seja, fico deprimida. Cada dia tem que ser útil. Falar com alguém, cuidar dos meus bichos, das minhas plantas, é produzir também, tá?

4. Não consigo dormir sem ler antes.

5. Não guardo mágoas. Me magoo, rumino por uns minutos e depois esqueço. Mas tenho um limite para mágoas que chamo de "point of no return". Uma, duas, tres, trinta vezes, até chegar o momento em que o copo transborda. Aí não tem volta...

6. Gosto de dirigir (Nestor diz que corro demais, e é verdade!), de costurar, de pintar meus quadros, de viagens longas, de estar com minhas irmãs, de cantar no karaokê, de ouvir música enquanto trabalho, adoro ficção científica, poesia e matemática. Tenho pavor de filme de capeta, e detesto vento.

7. No meu quarto não tem espelho, não tem TV, não tem relógio, mas tem um monte de livros.

8- Morro de inveja de mulheres que estão sempre chiques (como a Regina), sempre de batom, cabelo arrumado... Adoraria ser assim, ainda não aprendi.

9. Muita gente sonha conhecer o mar, eu sonho ver neve. De preferência em Paris...

10. Minha alegria exige muito pouco... chamego de filha, festa de cachorro, recadinho carinhoso de amigo, alguém ligar só pra saber se estou bem, livro novo, cheiro de chuva, casa cheia e mesa farta.


that's (almost) all, folks!

Well... 10, né?












01. Sou da lua (e de lua também), prefiro mil vezes produzir à noite. Penso melhor, estruturo-me com precisão. Por consequência, destesto levantar cedo. Meu sonho dourado é poder acordar às 9:30 h de segunda à sexta.

02. O outono é minha estação preferida. Até o cheiro da noite é diferente. Gosto do friozinho da manhã e do final da tarde. A idéia de que as folhas estão caindo, para que ocorra o seu renascimento me enche de esperança.

03. Não gosto de médico, de hospital, injeção, remédio líquido. Um comprimidinho até vai, mas precisa estar doendo muito mesmo. Acho engraçado esse povo, que sentiu uma dorzinha, já corre pro doutor.

Quando eu quebrei o braço e o médico disse que eu tinha que operá-lo, quase bati nele. Imagine que até os 22 anos a única vez que tinha entrado em um hospital, tinha sido dentro da barriga da minha mãe e o cara veio dizer que precisava me cortar. Cortou, eu senti mesmo com anestesia local e jurei que só operaria novamente se dependesse a minha ilustre vida. Claro que se me dessem uma plástica abdominal de presente, eu reveria esse juramento.

04.Adoro escrever!!! Crônicas, poesias, relatos do cotidiano, humor satírico, dramalhão até. Só preciso: Aprender a fazer isso, parar de ter preguiça, arrumar um desafio e, pricipalmente, descobrir onde se compra talento baratinho.

05. Amo bichos. Cachorros principalmente. Mas isso todo mundo já sabe. É bem de família. Minha irmã acho até que é pior. Minha mãe dizia que era porque ela mamou na teta da Negrinha, uma cadelinha viralata que tinham.

06. Adoro comida caseira. Sei cozinhar bem, mas por trabalhar fora e por causa dos gostos totalmente diferentes aqui em casa, minhas aventuras gastronômicas não são tantas assim.

07. Gosto de ler. Já fui traça de biblioteca, sócia do Círculo do Livro, tive conta na banca de jornal. Leio jornal, revista (menos Caras e outras futilidades), encarte de supermercado, bula de remédio e GIBI. Ah! E sou fã incondicional do Harry Potter; li todos os livros...rss

08. Música é o meu tesão. Rock , blues, jazz, MPB, clássicas. Umas bregas horrorosas, tipo Wando. Amor filho da Puta é sensácional!

09.Gosto de conversar olhando nos olhos. Meu aperto de mão é firme. Homem nem precisa ser bonito, tem que ser cheiroso, ter unhas curtas e limpas e não ter pelinho saindo da orelha, tipo Gremilin. Sou boa ouvinte quase sempre, mas se for amigo e falar merda, vai ouvir de volta.

10. Sou um amor de pessoa em 99% das vezes, mas se pisarem no rabo da leoa...


Caramba!!! Eu escrevo demais e só melda.

MINHAS 10 COISAS

1- Gosto de ficar em casa lendo, cuidando dos meus bichos companheiros constantes. E adoro receber amigos.

2- Um dia já gostei muito de beber. Bebia de tudo e muitas vezes passava do limite. Hoje não aguento mais nem sentir o cheiro sequer de cerveja. Mas gosto de encontrar amigos e quase todos bebem. Alguns se sentem encomodados por eu não beber. Fazer o que, né? Prefiro água com uma rodelinha de limão. Mas gosto de encontrar com eles na rua.

3- Não gosto de dirigir. Mas gosto de andrade carro vendo as paisagens. Aliás, eu amo andar. Isso é VIAJAR!!! Não me importa o roteiro. Pode ser até aqui perto. O importate é eu mudar a paisagem! Gosto de ir só. Gosto de ir com amigos. Mas pra mim, o importante é ir!

4- Minha vida é simples assim como os meus olhares. Os sentimentos são truncados. A vida corre estreita no meu laço. Se esparrama entre outras vidas. Entrelaçam. Gosto de fazer amigos e de conversar com eles e trocar impressões sobre o mundo. Me exponho e gosto que se mostrem. Caso contrário, me traco!

5- Gosto de cores, sabores, texturas. Mas não sei cozinhar. Já soube. Isso não é como andar de bicicleta. Adoro comer. Queijo é tudo de bom! Beringela tambem! Não sendo buchada, carne de porco, maxixe, jiló, quiabo, dobradinha....tudo vai bem. Ou quase.

6- Nunca observo o que as pessoas vestem como tambem não observo aonde ou como moram. cada um veste e mora como quer e como dá. Mas se a casa me agrada, me perdoem pois vou olhar cada canto e cada bibelo! As vezes com discreção e vagarosamente. As vezes de forma escandalosa!
Gosto de cores dentro da minha casa. Nas paredes. Gosto de tudo pendurado. Quandros e qualquer outa coisa. Vc não vai achar nenhum bibelo pela casa enfeitando....

7- Já fui administradora de restaurante industrial. Depois resolvi ser artista textil e decidi que estava passando da hora de caminhar na vida. Decidi que iria pintar tecidos e vende-los na beira da praia. E vendi! E como vendi! Sobrevivia a custa desses tecidos tão lindos que eu pintava! Normalmente eu usava as cores do arcó-íris! Como são belas as cores do arco-íris!!! Até hoje gosto de pintar. Mas pinto pra eu mesma.

8- Meu signo é Peixes. Meu ascendente é Peixes e a lua está em Gêmeos. Muita água numa só criatura. Talvez por isso eu colecione PEDRAS. Minha paixão. Coleciono cada mineral em sua forma bruta. Em gema. Rolados. Tenho muitos de muitos lugares. Acho que é isso que me equilibra...um pouco de terra em muita água.

9- Gosto do vento no meu rosto. Em relação a isso tenho uma feliz lembrança que é a de uma viagem de moto que fiz do Rio Grande do Norte até o Rio de Janeiro pela linha verde! O vento no meu rosto...Lapada de vento que as vezes doia pela força. E nas paradas...OLHAR O MAR! O mar é o meu segundo amor! Ficar parada olhando...olhando...com a cabeça vasia. Eu e o Mar!

10- O Fogo me trás o mistério do mundo. Transforma...esquenta...mata!
Não tenho grandes intimidades com o fogo. Nem com a eletricidade. nem com trovões. Nem com raios. Mas o Fogo me seduz, me encanta. E me espanta!

Minha Lista


1.sou vaidosa e gosto de vermelho: no batom, nas unhas, nos acessórios.
2. só saio maquiada e amo um salto alto.
3. sou praieira. Gosto do mar, praia, mergulho, sal e sol.
4. gosto de vinho tinto, uma boa massa, queijos e frutos do mar.
5. faço caminhadas todos os dias no calçadão da praia. Exercícios só levantamento de copo.
6. não tenho habilidades manuais. Não gosto e não sei costurar, nem bordar.
7. gosto de artes: literatura, pintura, musica, dança, amo ir ao teatro, cinema vou toda semana.
8. vivo no meio de livros. Adoro ler, escrever, estudar.
9. sou fascinada por fotografias e estou sempre com minha máquina na bolsa.
10. gosto de viajar, conhecer lugares, culturas diferentes, experimentar sabores. Mas nunca me convide para acampar.

ELA.........

Ela veio de repente....
Aos seis meses de gravidez,achou que já era hora e ......nasceu!!!!!
Não quis saber se os pais estavam preparados,se o avô ameaçava um enfarto,se o mundo estava pronto prá ela......
Pesava apenas 900 grs e cabia na palma da mão.
Uma japinha linda que lutou bravamente numa incubadora por 75 dias....
Foi assim que a gente aprendeu a amá-la...aos poucos e definitivamente!!!!!
Hoje,passados seis anos ela nos ilumina com seu sorriso,sua garra,seu amor.
E nos ensina cada dia mais e mais.
Minha neta.
Ana Júlia......

eu proponho

Com a finalidade de nos mostrarmos um pouquinho, para que nos conheçam mais um pouquinho, proponho que os jilós-blogueiros façam uma postagem com uma listinha de 10 coisas aleatórias sobre si.

E ainda estamos aguardando as bolsas e bolsos dos jilós.

minha lista:

1. sou fascinada por tempestades, daquelas barulhentas com muito vento, raios e trovôes.

2. tenho paixão por viagens, tanto faz de carro, trem, avião, caminhão, barco, navio, meu negócio é ver o mundo.

3. não sei costurar como gostaria, ainda vou fazer isso um dia.

4. sou bibliomaníaca, gosto de ter livros, olhar para eles na estante, pegar um que não leio faz tempo, gosto de livros bonitos de arte, gastronomia, design, louca por livrarias.

5. minha fama é de boa cozinheira, mas faço o trivial bem caprichado e só.

6. quando bebo fico alegre e falante, se passo da conta começo a chorar.

7. minha carteira de motorista está vencida há um tempão e fico enrolando pra renovar.

8. sempre penso em fazer dieta e exercícios e procrastino...

9. tenho fôlego para longas caminhadas e isso é uma das coisas que mais gosto de fazer, seja na cidade, na praia, num parque, pelas ruas do centro, em lugares novos, além do exercício é uma maneira de aprender e ao mesmo tempo refletir.

10. gosto de rosas, de espelhos, de dourados, de tapetes, cortinas, almofadas, incenso, cheiro de lavanda, velas, luz e sombras.

E minha alma, sem luz nem tenda,
passa errante, na noite má,
à procura de quem me entenda
e de quem me consolará...

Cecília Meirelles

DROPS, ops... PASTILHAS...


Ninguém é igual a ninguém.

Todo o ser humano é um estranho ímpar.

(Carlos Drummond de Andrade)

Na minha bolsa tem....

...coisas bem básicas mesmo.
Não gosto de carregar peso, então tô sempre limpando minha bolsa.
E não gosto de ficar mudando de bolsa....
Quando uso uma, fico com ela até ela não me aguentar mais.....
E nela tem: a carteira com documentos, cheque, foto com meus filhos e uma imagem de São Judas Tadeu que sempre me acompanha....
Meu leque, que é imprescindível na minha terra que minha filha trouxe da Espanha prá mim.
Celular, balinhas, meus cartões , caneta, batom e minha amiga neosaldina....
Esse saquinho de crochê tem um terço que minha sobrinha-afilhada me deu há um tempo atrás e que gosto de carregar comigo.....

na minha bolsa tem...


1. guarda-chuvas (porque em São Paulo não dá pra sair sem ele)
2. óculos de sol (tenho fotofobia e uso na rua sempre)
3. carregador (já pensou querer tirar uma foto e não ter pilha?)
4. celular
5. caderneta para anotações
6. óculos de grau (sem eles sou cega)
7. bolsinha com dinheiro (notas e moedas, sempre pouquinho)
8. caneta
9. baton (dar um 'tapinha' para melhorar a cara)
10. chaves
11. trevo de 4 folhas que meu filho encontrou e plastificou pra mim
12. meus comprimidos para controle da pressão
13. sempre um chocolatinho
14. carteira com documentos e cartões de banco e de crédito
15. cartão de visita profissional.

e claro, esta câmera que fotografou tudo isso, sem ela jamais!

só uso bolsa pequena, ando muito a pé, de ônibus e de metrô, detesto carregar peso.

DROPS (Pastilha é da Zi... rs)


"Às vezes, me sinto muito só.
Sem ontem e sem amanhã.
Não adianta que haja pessoas em volta de mim. Mesmo as mais queridas.
Só se está só ou acompanhado, dentro de si mesmo.
Estou muito só hoje.

Duas ou três lembranças que me fizeram companhia, desde segunda-feira, eu já gastei.

Não creio que, amanhã, aconteça alguma coisa de melhor."


Antonio Maria [de seu diário]

Bolsa da Ciça


Na minha bolsa tem carteira, com cartões de crédito, convênio médico, dim-dim,documentos do carro, carteira de motorista, documentos em geral...

Tem batom..tem escova de cabelo..tem fio dental, gel para desinfetar as mãos, tem perfume, canetas, lenço de papel..

Tem um leque, chaves, bolsinha com moedas, medalhas do anjo da guarda...

Tem bagunça de papéis, notas de supermercado, estacionamento, que, obviamente, tirei!

Tem a cara da dona: meio bagunçada, meio prevenida, meio organizada, mas..boa gente!

Certeza?

Eu de nada tenho certeza, a não ser da santidade
das afeições do coração e da verdade da Imaginação
A beleza apreendida pela Imaginação deve ser verdade
A Imaginação pode ser comparada ao sonho de Adão
Adão despertou e viu que era verdadeiro.


Keats( carta a Bailley, 1817)












Eu, agora - que desfecho!
já nem penso mais em ti...
mas será que nunca deixo
de lembrar que te esqueci?

(Mário Quintana)

RONDA...

RONDA
Omar Azevedo





Todas as bebidas são amargas
Insípidas!
Todas as possibilidades inúteis
Descartáveis!
Todas as pessoas sem graça
Cansativas!
Todas as festas monótonas
Insuportáveis!
Todos os bares lotados
E tão vazios...
Todas as tentativas em vão
Perda de tempo!



Droga!
Onde você se meteu
Que não aparece
Pra iluminar o meu sábado?

Olhos Diamantes



Busquei em teus olhos cor dos diamantes
Champagne’s Lua , negros África,
Verdes Índia , azuis Terra...
Neles fé e magia , puros encantos.
Quando amam verdes campos,
Tristes, pombas em desvelo....
Quando abertos, sem dimensão
Azul altura , esmeralda chão.
Molhados , marejados , perdidos
Sensuais ondas , paixão...
Da terra a mais dura matéria
Dos milhares de anos , doce carvão
Dureza mais rude , preciosa espera,
Da mão arte , lapidação...
São os frutos das eras, estações
Dos jardins da Campanha ,
Todas flores , doces poções.
Amor extenso ,taças plenas
Contendo gotas, oceanos , furacões....
Quando imersos , mar tempestuoso,
Imensa força , sem direção.
Serenos , nova porta , razões do meu canto,
Alma escolhida , castelo ,coração...
Quando afastados , agonia , longos dias,
Saudade, finais de tardes, solidão.
Presentes , conquista, pilhagem
Raros momentos ,orgulho, contemplação

sem palavras...

URGÊNCIA

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras, ódio, solidão e crueldade, alguns lamentos, muitas espadas.
É urgente inventar alegria, multiplicar os beijos, as searas, é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.
Cai o silêncio nos ombros e a luz impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente permanecer.

( Eugênio de Andrade)


Essa é uma das várias imagens que a minha janela mostra.

Imaginam quantos sonhos ela embala?

Isso lá tem preço, meus Deuses?

Bolsa da Beth

Verdade?

 

Os sites de relacionamento nos aproximam dos mais distantes e nos afastam dos mais próximos. 

REJEIÇÃO

Eu sinceramente não sei por que diabos uma amiguinha do meu filho resolveu me eleger com confidente dela.
E conversa vai...
Choro...
E conversa vem...
Lamentos...
Soluços entremeados com "eu gosto muito dele".
Falo pra ela que depois desse virão outros...muitos outros, até que ela de forma inusitada se descubram. E isso será fácil, afinal ela se diz tão independente!
rs...aos 20 anos, chorando um amor adolescente. E se achando independente!!! ( Oras.....!!!!)
Suspiros...e a frase:
- Já fui tão rejeitada. Por meu pai...por minha mãe...e agora por ele!!!
Meu coração estanca.
Pergunto sobre os pais...E ela me conta que mora com os avós e a mãe que mora na mesma rua, mas passa mais de mês sem ve-la.
Que a mãe e o pai...blá blá blá.
Coisa séria. Pausa pra eu pensar, me acalmar e organizar todos os sentimentos que eu gostaria de gritar para o meu filho.
Mas que calmamente, centrada e de forma organizada expus pra ela. Pausadamente pra não me perder e nem a confundir. Então com voz calorosa eafável falei:
- Vc sabe...tem idéia do que seja rejeição?
O mundo não roda no seu umbigo. O mundo é muito mais que isso. E as dores do mundo não se resumem em suas querencias, carências e necessidades.
-Sua mãe tambem tem bloqueios. Tem necessidades e querencias que ninguem resolverá. Não há quem passe a mão na cabeça dela e a acalente. Imagina...ela chora sozinha!
Como vc pode dizer que é rejeitada?
Sua mãe mora ao lado e vc tem a oportunidade de ve-la e há a possibilidade de um reencontro.
Rejeição é quando a mãe se mata, matando todas as possiblidades!
Vc não imagina que seja isso.
E como vc pode falar de independencia quando não sabe o que é comprar um bujão de gás. E ainda chora pela necessidade de alguém. Independencia???
...
Suspiro...silêncio.
Penso: Ela teria profundidade pra alcançar o sentimento?

Mudo o rumo da conversa e desdigo o conselho dado de não ligar pro rapaz. Deixar correr frouxo.
Aconselho que ela ligue mas que fale que só de coidas boas. Homem não gosta de mulher doente e triste.
Digo que o "amor" deve ser vivido até a última gota. E que se ela está assim, é por que a última gota deve ser sorvida!!!!
(Mesmo que seja veneno!)

HISTÓRIA DE AMOR

Quando eu era menina, sempre acreditei que fosse encontrar o amor da minha vida em um supermercado. Os nossos carrinhos de compras iriam colidir e ele seria o amor da minha vida.
Por isso eu fazia questão de fazer as compras da minha casa quando eu morava com meu pai.
Mas nunca o meu carrinho bateu com o grande amor....as vezes esbarrava com carrinhos de mulheres folgadas que o largavam a deriva enquanto apreciavam produtos expostos enfileirados nas pratileiras.
Tive um caso com um homem maduro a uns 6 anos atras. Foi um lance estranho. Rápido. Intenso. Marcante entre letras de músicas do Chico Buarque.
Tatuagem!
A gente se separou. Cada um em seu ritmo. Com sua estória.
Uns dias atras fui surpreendida por ele através de um e-mail.
Um dia ele chegou tão de repente com seu jeito de sempre chegar...(Chico Buarque)
Depois de tanto tempo o encontro no meio do bar cheio de gente e de música.
O abraço apertado, demorado, sinuoso. Beijo na boca. A gente ali embalando uma vida.
Conversas, lembranças. Risos. A gente feliz no meio do povo que testemunha o amor sendo feito. Beijos...beijos....beijos...mãos que se tocam, que tocam o corpo no meio do bar!
Corpos que no meio do bar se lançam ao mar...devaneio.
O POVO SE ESPANTA COM O AMOR!
...
Hoje sei que uma História de Amor se escreve sem compromissos e contas a serem pagas.
Hoje entendo que UMA HISTÓRIA DE AMOR se vive mais dentro que fora.
Fantasia!(Chico Buarque)
Percebo sem ansiedade que mesmo em mares distantes, mesmo em rotas errantes, mesmo que distantes e equidistantes, que uma História de Amor se escreve desde do início, pelo meio, pelo fim e pelo princípio. Mas nunca pela metade!
Uma metade de mim é amor. E a outra, também! (Oswaldo Montenegro.)

Quando a noite me traz insone, os sentimento me cutucam pra se liberarem. É um ritual xamanico onde o pajé entra em contato com os deuses pra me libertar do incomodo. Carregar sentimentos é pesado. Memso que sejam de alegria.
Tão bom partilhar um sorriso. Uma alegria.
estava deitada e me rindo de uma situação.
Eu sou doida mesmo.
Havia colocado o apartamento a vendo com o coração super apertado.
E me chega um comprador porreta e que coloca preço.
Eu digo que o nascer do sol, a lua brotando vermelha no horizonte e arco-íris duplo inteiro na janela é bem mais caro que o preço porposto.
Ele não entende.
Eu explico que na verdade o apartamento é bom, mas melhor ainda são as janelas pro nascente e pro horizonte infinito aonde moram as cores. E que isso é bem mais caro!
Ele continua sem entender.
Eu explico de forma pacienciosa que o apartamento é muito bom, mas o melhor acessório dele são as 5 janelinhas pro nascente. janelinhas que se abrem pra inúmeras possibilidades de vento no rosto...de pores de sol dançantes...luas menstrual, e vários felizes arcos-íris.
Contei a ele que meu ex marido havia comprado um terreno com uma casa derrubada por uma fortuna apenas por causa de uma linda árvore por quem ele se apaixonou! rs...a árvore!...
Então ele me pergunta o preço das tais 3 janelinhas.
E eu perguntei qual era o preço que ele pagava pelo sol, pela lua e por todos os arcos-íris pululantes na janela...
Estávamos sentados no sofa.
Ele bate com as duas mãos nas coxas dele e me olhando como se eu fosse doida...agradeceu profundamente a conversa e partiu!
......Ai............que baita alívio!
Mais um que se foi!
O apartamento continua a venda.
...
Tenho muito medo de encontrar um mais doido que eu que pague o preço justo por tudo isso, como o meu ex marido que comprou a tal árvorezinha...rs

BOLSA DE MULHER!


A Ju lançou a proposta lá na Jiló e, é claro, eu a aceitei...

Vim mostrar ao mundo o que há numa bolsa de mulher.

Depois de uma sacudida básica em minha bolsa sobre a cama -excetuando o guarda-chuva, que estava secando na área de serviço; as chaves do carro e da casa que vão direto pro seu lugar assim que chego (senão, nunca mais!) e a câmera fotográfica, que humildemente se prestou a flagrar o vexame, o resultado foi esse, aí em cima...

Pode?!?

vamos comemorar!

na verdade é 'MESANIVERSÁRIO' (lembram da Alice?), nosso blog completou 1 mes há dois dias (dia 17) e não lembramos de comemorar! e estamos chegando a quase 3.000 acessos!

vida longa ao blog!

E TUDO MUDOU...


O rouge virou blush,
O pó-de-arroz virou pó-compacto,
O brilho virou gloss,
O rímel virou máscara incolor;

A Lycra virou stretch,
Anabela virou plataforma;

O corpete virou porta-seios ..
Que virou sutiã ..
Que virou lib .
Que virou silicone!

A peruca virou aplique ... interlace .. Megahair ..
Alongamento!
A escova virou chapinha,
'Problemas de moça' viraram TPM;
Confete virou MM;

A crise de nervos virou estresse,
A chita virou viscose,
A purpurina virou gliter,
A brilhantina virou mousse...

Os halteres viraram bomba,
A ergométrica virou spinning,
A tanga virou fio dental...

. . . E o fio dental virou anti-séptico bucal

Ninguém mais vê:

Ping-Pong porque virou Bubaloo,
O à-la-carte porque virou self-service,

A tristeza porque agora é depressão,
O espaguete porque virou Miojo pronto,
A paquera porque virou pegação,
A gafieira porque virou dança de salão,

O que era praça virou shopping,
A areia virou ringue
A caneta virou teclado,
O LP virou CD,

A fita de vídeo é DVD,
O CD já é MP3,
É um filho onde eram seis,
O álbum de fotos agora é mostrado por e-mail,

O namoro agora é virtual,
A cantada virou torpedo,
E do 'não' não se tem medo,
O break virou street,

O samba, pagode
O carnaval de rua virou Sapucaí,
O folclore brasileiro, halloween
O piano agora é teclado, também...

O forró de sanfona ficou eletrônico,
Fortificante não é mais Biotônico,
Polícia e ladrão virou counter strike,

Folhetins são novelas de TV,
Fauna e flora a desaparecer,
Lobato virou Paulo Coelho,
Caetano virou um pentelho,

Baby se converteu,
RPM desapareceu,
Elis ressuscitou em Maria Rita?
Gal virou fênix,
Raul e Renato,
Cássia e Cazuza,
Lennon e Elvis,
Todos anjos
Agora só tocam lira...

A AIDS virou gripe,
A bala antes encontrada agora é perdida,
A violência está coisa maldita!

A maconha é calmante,
O professor é agora o facilitador,
As lições já não importam mais,
A guerra superou a paz,
E a sociedade ficou incapaz...
... De tudo.
. . . Inclusive de notar essas diferenças.

(Luiz Fernando Veríssimo)

FAZENDO POESIA COM A NOVA REFORMA ORTOGRÁFICA


A reforma ortográfica:
Em casos como AUTOESTIMA o hífen cai. A sua que não pode cair.
Em algumas palavras, o acento desaparece, como em FEIURA.
Aliás, poderia desaparecer a palavra toda.
O acento também cai em IDEIA, só que dela a gente precisa. E muito!
O trema sumiu em todas as palavras, como em INCONSEQUÊNCIA,
que também poderia sumir do mapa. Assim, a gente ia viver com mais TRANQUILIDADE.
Mas nem tudo vai mudar. ABRAÇO continua igual. E quanto mais apertado, melhor.
AMIZADE ainda é com "Z", como VIZINHO.
Expressões como "EU TE AMO", continuam precisando de ponto.
Se for de exclamação, é PAIXÃO, que continua com "X", como ABACAXI,
que gostando ou não, a gente ainda vai ter alguns para descascar.
SOLITÁRIO ainda tem acento, como SOLIDÁRIO, que muda só uma letra, mas faz
uma enorme diferença.
CONSCIÊNCIA ainda é com SC, como SANTA CATARINA que precisa tocar a VIDA para frente.
E por falar em VIDA, bom, essa muda o tempo todo, e é por isso que emociona tanto!!

BONITA HOMENAGEM DE MAURICIO DE SOUSA


Ronaldo recebeu uma homenagem diferente nesta terça-feira.
Antes do treino do Corinthians no CT do Parque Ecológico do Tietê,
à tarde, o camisa 9 recebeu a visita do cartunista Mauricio de Sousa,
que fez um desenho especial para o atacante.
Apesar de não ser alvinegro, o criador da Turma da Mônica diz ser
grande fã do Fenômeno