BLOG COLETIVO, os temas são variados.
Tudo começou em 2004 numa comunidade de gente 'madura' do orkut, aos poucos cresceu a amizade e sintonia, apesar de vivermos em diferentes lugares. Participamos da comunidade fechada Jiló com Miolo no orkut, no Facebook, e no blog mostramos nosso 'espírito jiló'.

Boa sorte filho!

Faltam 12 dias para que o meu caçulinha vá embora, morar e trabalhar no Pará. Tá bom, é Brasil, mas é muito longe. 
A gente se prepara a vida toda para esse momento, mas não adianta, não tem jeito, doi demais.


Vossos filhos não são vossos filhos: são os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma. Vêm através de vós, mas não de vós, e embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos, porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas; Pois suas almas moram na mansão do amanhã, que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós, porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas. O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força, para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria: pois assim como ele ama a flecha que voa, ama também o arco que permanece estável.
(Gibran Kalil Gibran)




9 comentários:

Jussara Gehrke disse...

Ana,

Sei exatamente como se sente, é dificil a gente ver aquele ser que saiu de nós, que ajudamos crescer, que de tudo fizemos, que sentimos "que é da gente" sair por esse mundão afora...

Ele vai procurar o caminho dele, vai se dar bem, vai ser feliz, é isso que temos que pensar.

Vc vai ficar tristinha, mas logo passa quando perceber que ele toma conta da propria vida, e faz isso graças à você.

beijos com carinho,
Ju

Vivi Damásio disse...

É duro, Ana...eu sei bem...
Mas faz parte da vida.
Assim como nós um dia batemos asa( e nem nos lembramos disso)...

Ciça Camargo disse...

Aninha,

Há 1 ano e meio meu filhote mais velho também bateu asas e voou.Foi trabalhar, e morar, em Catalão, Goiás.

Até hoje morro de saudade, mas ele está feliz, adorando trabalhar e morar lá.

E isso é o que importa, né?

Vê-los felizes, realizados.

E...com isso, agora conheço Catalão, lugar que nunca imaginei ir..rsrs

Imagino seu coração apertadinho...Mas passa!

Beijão e um abraço bem apertadinho!!!

Regina Fernandes disse...

Anaaaaa
Fica tristinha não. Força menina!
Beijo grande

mercitcha disse...

Ana,

Criamos nossos filhos para o mundo.Mas, como toda mãe somos egoistas, é sempre nosso.No entanto, é bom saber que ele também está fazendo parte e sendo útil para a visa de outras pessoas.É o tal do CRESCIMENTO.
bj

Walkiria disse...

Anhuska!

Nós damos a eles as asas para voar e ver o Mundo com os própios olhos, mas as mesmas asas os trazem de volta para visitas, muito carinho e troca de experiências.

Claro que dói mas é uma dor mais doce do que amarga. Siognifica que fizemos o que tinha que ser feito e de boa maneira.

Beijo

NICE PINHEIRO disse...

Ana, a minha bateu asas há 5 anos...Quase tive um troço! E olha que ela foi pra pertinho, Rio de Janeiro! Mas levou um pedaço do meu coração (sem querer ser trágica..). Chorei durante muitos dias, mas depois acostumei com o silêncio da casa. Ela está feliz. Amadureceu. Cresceu. Hoje, é minha pequena grande mulher! Nós tb fomos embora um dia, batemos nossas asas rumo à vida...Por que seria diferente com nossos filhos? A vida é mesmo assim, dia e noite, não e sim....rs...Vc vai sobreviver amiga, tenha certeza disso! Força!
bjsssssssssssss

IZILDA disse...

Ana,
Sei exatamente como você está se sentindo...
Já passei por isso.
Quando a minha Ju saiu de casa, inesperadamente, numa fase difícil de minha vida, fiquei péssima!
Mas mãe é mãe e sabendo-os bem, por mais tristes que estejamos com a separação, acabamos felizes por eles...
No mais, você é querida.
Beijo cheinho de carinho,
Zi

BethSampaio disse...

somos um grupo de arcos...

mas não do arco da velha!